Os irmãos Robledo: uma história de futebol, John Lennon e mistério


Ted e Jorge Robledo, irmãos chilenos que fizeram história no futebol inglês

Jorge e Eduardo Ted Robledo nasceram no Chile durante a década de 20. Irmãos, tinham pouco mais de dois anos de diferença um para o outro. Parecidos fisicamente, a semelhança se estendia ao amor pelo futebol. Tão iguais e tão diferentes. Assim pode ser resumida a trajetória dos dois jogadores chilenos que fizeram história na Inglaterra em uma época em que o futebol inglês ainda era restrito aos ingleses.

Jorge Robledo Oliver nasceu em Iquique, cidade litorânea ao norte do Chile a 1700 quilômetros da capital Santiago. Em 26 de julho de 1928, foi a vez de seu hermano, Eduardo "Ted" Robledo Oliver, sair do ventre de su madre, que na verdade era mommy, afinal, era inglesa, casada com um chileno. Em 1931, a família se muda para a Inglaterra, onde Jorge se transformaria em George, um dos mais prolíficos atacantes que já atuaram na Terra da Rainha. Apaixonado por futebol, Jorge começou a atuar pelo Huddersfield Town, ainda de forma amadora. Até ser descoberto pelo Barnsley, da segunda divisão, que ofereceu seu primeiro contrato profissional, em 1946, quando o jovem atacante tinha 20 anos. A qualidade de Jorge chamou atenção imediatamente, e de maneira rápida ganhou o respeito de todos. Suficiente para que pudesse dar uma força ao irmão mais novo, Ted, que também passou a jogar nas fileiras do Barnsley, em 1947. Enquanto Ted apenas fazia figuração, Jorge balançava as redes. Em três anos de clube, marcou 45 gols em 105 jogos.

Em 1949, chegou a hora de dar o pulo-do-gato em sua carreira. O Newcastle, 4 vezes campeão inglês e até então, três vezes campeão da FA Cup, colocou a mala de dinheiro em cima da mesa e quis levar o chileno para St. James Park. Jorge não se opôs. Tinha apenas uma condição: muito ligado ao irmão, exigiu que Ted também fosse contratado. Encantados pelas qualidades goleadoras de Jorge, os diretores do clube alvinegro acertaram a contratação do caçula sem sequer assistir uma única partida do irmão menos talentoso. Enquanto Jorge era um ás do ataque, Ted aparecia sem grande destaque pela defesa esquerda.

O tempo, porém, mostrou que valeu a pena cada centavo do investimento na dupla de irmãos. Mais uma vez Ted era apenas mais um, enquanto Jorge brilhava. Seu primeiro gol veio no clássico com o Sunderland, em vitória por 2 a 1. Até o fim daquela temporada, marcaria outras cinco vezes em doze jogos. Na temporada 49-50, aumentou seu número marcando 11 gols e ainda disputou a Copa do Mundo do Brasil pelo Chile. Robledo, único jogador de todo o Mundial a atuar em um time estrangeiro, esteve em campo nas três partidas do time chileno, inclusive na derrota de estreia diante da Inglaterra. Na despedida do Chile, marcou o gol que abriu a vitória de 5 a 2 sobre os Estados Unidos (ao fim de sua carreira, Jorge totalizou 8 gols em 31 aparições pelo Chile). Em 50-51, marcou definitivamente seu nome na história do Newcastle e do futebol inglês, ao fazer 14 gols e ajudar a equipe a alcançar a final da FA Cup, o torneio mais antigo do mundo. Na decisão, vitória por 2 a 0 sobre o Blackpool, com dois gols de Jackie Milburn, companheiro de ataque do chileno.

Uma temporada de sonho, que acredite, ficaria ainda melhor. George, encerrou a temporada 51-52 com 39 gols, e com 33 gols em 32 jogos no Campeonato Inglês, se tornou o primeiro não britânico no topo da artilharia. Como se não bastasse, foi fundamental para que o Newcastle faturasse o bicampeonato da FA Cup. Na final, 1 a 0 sobre o Arsenal com gol de George, aos 40 do 2º tempo. E dessa vez, com o irmão Ted entre os titulares.


Um gol marcante, que certamente mexeria com os brios de um garoto de 11 anos. O pequeno John Lennon, de Liverpool, ficou sabendo do fato de alguma maneira. E fez um rústico desenho do dianteiro chileno vencendo o goleiro e um defensor dos Gunners, observado pelo camisa 9, Milburn. Um desenho que se tornaria famoso 20 anos depois, estampado na capa do disco solo do artista, Walls and Bridges, de 1974. A ligação do ex-Beatles com o futebol sempre foi uma incógnita, e este disco é o elo mais conhecido de Lennon com o esporte bretão.


Voltando à nossa historia principal, Jorge tinha uma fama que Lennon talvez nem sonhasse que ainda teria. Mas a venda de Ted ao chileno Colo-Colo colocou fim à história entre o craque e o Newcastle. Inseparável do irmão, Jorge também partiu rumo a sua terra natal. Jorge encerrou seu caminho na Inglaterra com 84 gols em 146 partidas. Logo em seu primeiro campeonato, a dupla faturou o título chileno, e Jorge a artilharia, com 26 gols. No ano seguinte, em 54, o Colo Colo ficou próximo do bicampeonato, e Jorge repetiu a façanha individual ao anotar 25 tentos. Depois de outro vice em 55 - ano em que Jorge também seria vice do Sul-Americano pela seleção chilena e também assumiu o cargo de treinador do Colo Colo por um breve período - voltaram a faturar o Campeonato Chileno em 56.


Em 58, Jorge ainda ajudou o clube a levantar a taça da Copa Chile. Apesar dos 95 gols em 153 partidas pelo Indio Mapuche, Robledo acabou se desentendendo com a diretoria do clube e ficou um ano sem jogar, voltando apenas em 59, para vestir a camisa do O'Higgins, clube em que se aposentou em 1960. Casado com Gladys, Jorge se mudou para Viña del Mar assumindo um quase anonimato, se tornando pai de Elizabeth e diretor esportivo de um colégio. Jorge talvez estivesse abrindo espaço para que sua sombra não mais fizesse peso na vida de Ted.


Depois de casar-se com a bailarina Carmen Calé, em 1956, Ted voltou para a Inglaterra e passou a jogar pelo Notts County, como meio campista, posição em que vinha atuando no Colo Colo. Ficou no clube profissional mais antigo do mundo até 58. A partir daí, se tornou técnico eletrônico da NASA, a agência espacial americana. Em 65, voltou ao mundo do futebol como técnico do Once Municipal, de El Salvador, onde teve curta passagem. Posteriormente, passou a trabalhar na indústria petroleira, que lhe deu a estabilidade financeira que tanto procurava. Em dezembro de 1970, estava no Golfo Pérsico a trabalho, quando no dia 5 daquele mês, entrou à bordo de um cruzeiro a convite do capitão alemão Hans Besseinich. Ted jamais voltaria a pisar em terra firme. Em condições desconhecidas, Ted caiu no mar de Omã no dia 6 de dezembro e desapareceu para a eternidade.

Ted, durante seu tempo no Colo-Colo

Dezenas de teorias surgiram para explicar a morte de Ted. A principal e mais difundida, é de que Ted seria um agente da inteligência inglesa, ou até mesmo americana. E descoberto, acabou assassinado. Houve também suspeita de que Ted estava mexendo com negócios ilícitos, como contrabando ou tráfico de drogas. Ou um suicídio, se jogando aos tubarões. Até mesmo sua sexualidade foi colocada à prova como uma razão. Supostamente bissexual, Ted teria sido encontrado com um tripulante da embarcação, e teria sido jogado ao mar, em um crime homofóbico. No fim das contas, o caso foi arquivado pela justiça inglesa como um acidente, em que provavelmente Ted acabou caindo do barco durante a madrugada, após uma longa jogatina de cartas com os demais tripulantes.

Se já era discreto até mesmo em sua vida como futebolista, Jorge Robledo seguiu ainda mais silencioso após a morte de seu irmão. Cuidou de sua família até 1º de abril de 89, quando faleceu, vítima de um ataque cardíaco aos 62 anos. Diferente do irmão, que nunca teve o corpo encontrado, Jorge descansa sublime, como um ídolo, no mausoléu reservado às legendas do Colo Colo, evidenciando ainda mais as diferenças gritantes dos irmãos Robledo.

***

Texto publicado originalmente em 1º de fevereiro de 2018 no blog Escrevendo Futebol.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário